Seguidores

domingo, 30 de dezembro de 2012

FELIZ ANO NOVO A TODOS QUERIDOS AMIGOS FELIZ 2013





Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Mora uma louca chamada Esperança:
E quando todas as buzinas fonfonam
quando todos os reco-recos matracam
quando tudo berra quando tudo grita quando tudo apita

A louca tapa os ouvidos e atira-se
         e - ó miraculoso voo.                
                                     


Acorda outra vez menina, lá embaixo, na calçada.
O povo aproxima-se, aflito
E o mais velhinho curva-se e pergunta:
– Como é teu nome, menininha dos olhos verdes?
E ela então sorri a todos eles
E lhes diz, bem devagarinho para que não esqueçam nunca:

– O meu nome é ESPERANÇA !!


Que  esse novo ano nos traga cada vez mais esperança , fé, amor. 
Que haja mais 
solidariedade entre as pessoas, que as crenças, a cor, a opção sexual de cada um
sejam respeitadas. 
Que  nós considerados "seres humanos" sejamos mais HUMANOS.
Desejo a vocês  queridos amigos e amigas e suas familias, um FELIZ ANO NOVO.
FELIZ 2013.

Marilú

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL A TODOS




O céu se iluminou,
a estrela apareceu, 
os anjos entoaram louvores,
nasceu o filho de Deus. 

Numa gruta em Belém, 
veio ao mundo o Salvador, 
trazendo em suas mãozinhas,
verdade,  paz e amor.

Seu bercinho foi uma 
manjedoura,
pobrezinha e frugal,
que as bençãos do Deus menino 
se renovem neste Natal. 


Desejo a todos meus queridos amigos e amigas e suas famílias, um lindo e abençoado  Feliz Natal.


Marilú

domingo, 11 de novembro de 2012

Prof. Corujinha e os Livros de Histórias....

See full size image


Olá  criançada hoje vamos falar dos livros de histórias, aquelas que nunca esquecemos.


Abre-se o livro de histórias, 
encontramos reis valentes
empunhando suas espadas, 
rainhas malvadas,
e maçãs enfeitiçadas. 

E o espelho sempre a dizer:
Branca de Neve é a mais bela.
Abóboras transformam-se em 
lindas carruagens, 
ratinhos belos cavaleiros reais, 
e o príncipe encantado 
encontra o sapatinho de cristal.

Sete anões sempre a trabalhar
em sua mina de ouro, 
e a bruxa fingindo-se de velhinha,
lança seu feitiço na pobre e inocente
mocinha.

Lobo mau sempre a perseguir 
chapeuzinho vermelho, 
querendo as guloseimas da cestinha,
que ela vai levar para a vovozinha.

E os pobres três porquinhos, 
que vivem a construir casinhas, 
mas o lobo nada bobo, 
sopra, sopra, destrói tudo, 
deixando Cícero, Heitor e Prático, 
mais uma vez correndo para o mato.

Sapos falantes,
que precisam de um doce beijo 
para virar um lindo príncipe.
Lendas, histórias, fábulas, 
são memórias que nunca esquecemos, 
e que nossa infância enriqueceram.

Contem histórias aos seus filhos, 
leiam para eles desde pequeninos, 
embalem seu soninho,
com certeza eles terão doces sonhos.

E lembrem-se sempre...
"O livro é o melhor amigo".




Prof. Corujinha


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Luizinho doce anjo


Filho querido, 
amado, adorado, 
um anjo tão lindo,
para o céu foi levado.

Ficarás sempre comigo,
em meu coração,
para ti eu dedico 
a mais linda oração.

Saudades eternas,
sempre vou ter, 
mas a tua lembrança
me ajuda a viver. 

Parabéns doce anjo Luizinho.


Dedico está singela homenagem a minha querida amiga Saozita do blog 

No livro da vida.


Marilú




quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Apenas Meu....




Olho para ti e vejo-te 
apenas meu.
Leme de um  barco 
a deriva, solto, livre, sem amarras.

Teus braços me envolvem 
como brumas,
ondas serenas em busca da 
areia sedenta.

Teus lábios ardentes
mergulham nos meus,
em busca de tesouros submersos.

Somos o mar e a brisa,
dois corações que batem no 
mesmo peito,
perdidos nessa imensidão 
de amor.

A tarde caí, e o sol
vem deitar-se junto a nós.
Adormeço em teu colo....sonho.


Marilú

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Gavetas da Alma





Existem textos impublicáveis, 
segredos incontáveis,
amores irreais,
coisas do passado que 
jamais iremos compartilhar.

Pensamentos impróprios, velados,
sonhos que não passaram de 
mera ilusão.

Lágrimas derramadas
em silêncio,
olhares perdidos
no breu da noite que 
parece não ter fim.

Sentimentos obscuros,
marcas gravadas a ferro
em nossas lembranças.

Rascunhos de uma vida,
escritos em nossa pele,
e arquivados nas 
gavetas da alma.


Marilú



sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Prof. Corujinha Dia das Crianças


Olá queridas crianças, hoje venho desejar Feliz Dia das Crianças, mas estou 
triste por ver tantas crianças abandonadas, com fome, largadas sobre um papelão,
em cima de uma calçada fria.
Você amiguinho que é criança nunca rejeite uma criança pobre, ao contrário
se puder ajude. Você vai ser muito mais feliz.


Criança de pé no chão, 
tremendo de frio,
seus olhinhos já não tem lágrimas,
seu quartinho é uma caixa de papelão,
num cantinho de um barracão.

Não tem leite, não tem pão, 
falta tudo.
Até o que é de graça
ela não tem.....carinho.

O que será o futuro dessa criança
O que podemos esperar?
Que seja um médico, um doutor?
Infelizmente seu destino está traçado,
se alguém nada fizer por ela.

Vamos comemorar o dia das Crianças,
não somente olhando para as 
nossas crianças, mas 
tentando de alguma maneira 
ajudar essas crianças abandonadas 
à sua própria sorte.

Podemos mudar o mundo basta querermos.
Faça sua parte não importa se ninguém souber.....você sabe.



Feliz Dia das Crianças 


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Canção da Plenitude








Não tenho mais os olhos de menina
nem corpo adolescente, e a pele
translúcida há muito se manchou.
Há rugas onde havia sedas, sou uma estrutura
agrandada pelos anos e o peso dos fardos
bons ou ruins.
(Carreguei muitos com gosto e alguns com rebeldia.)
O que te posso dar é mais que tudo
o que perdi: dou-te os meus ganhos.
A maturidade que consegue rir
quando em outros tempos choraria,
busca te agradar
quando antigamente quereria
apenas ser amada.
Posso dar-te muito mais do que beleza
e juventude agora: esses dourados anos
me ensinaram a amar melhor, com mais paciência
e não menos ardor, a entender-te
se precisas, a aguardar-te quando vais,
a dar-te regaço de amante e colo de amiga,
e sobretudo força — que vem do aprendizado.
Isso posso te dar: um mar antigo e confiável
cujas marés — mesmo se fogem — retornam,
cujas correntes ocultas não levam destroços
mas o sonho interminável das sereias.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

A Primeira Vez









Não te quero na cama logo na primeira vez.
Primeiro sorria e me fale bastante de você.
Quero que te saborear aos poucos, devagar. 
Não quero às pressas, vem bem devagarinho.
Quero degustar lentamente cada pétala tua. 
Lamber o teu doce orvalho em forma de suor. 
Não se entregue a mim logo na primeira vez. 
Lembre apenas que sou atalho para o amor. 
Não me revele seus milagres nem segredos. 
Deixe que eu descubra tirando a tua roupa. 
Permita que eu percorra todo teu corpo.
Só depois, quando estiveres pronto pra mim,
Faremos amor todos os dias de nossas vidas, 

Como se fosse, 
A primeira vez.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Te espero



Te espero.

Vejo a noite chegando,
a lua apontando no céu,
e eu em minha janela
a tua espera.

Meus olhos percorrem
todas as ruas, 
pessoas que passam,
mas onde está você?

Tenho medo de 
mais uma noite sozinha,
mais uma noite de solidão,
silêncio.

As horas passam 
mais uma vez, 
e você não está nelas.

Insisto,
olho para o céu e lá 
está uma estrela cadente.
Faço-lhe um pedido
que traga de volta 
aos meus braços, 
o meu amor perdido.


Marilú


sexta-feira, 20 de julho de 2012

FELIZ DIA DO AMIGO


FELIZ DIA DO AMIGO A TODOS MEUS QUERIDOS AMIGOS E AMIGAS

AMO TODOS VOCÊS


dia-do-amigo1

Marilú

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Reencontro






 Às vezes, esqueço de mim.
 Mas hoje, marquei um encontro comigo.
 Fazia tempo que não me olhava de frente, de perto.
 Não posso me atrasar...
 Estou ansiosa pelo encontro!
 É que de repente bateu uma saudade louca de tudo,
 dos amigos antigos, das pessoas que passaram pela minha vida,
 até dos amores que não deram certo, da infância,
 do tempo que que eu deitava a cabeça no travesseiro
 e só tinha coisas boas pra pensar, nada de preocupações, decepções...
 E ali eu tinha certeza de ser feliz!
 Ali eu aprendi a ser feliz, e segui praticando a lição, a duras penas.
 Só de pirraça, só por teimosia, decidi ser feliz pra sempre. 
E tenho sido, mesmo quando não sei perceber. 
Não tenho saudade de ser feliz, tenho saudade de quem eu sou quando reconheço isso.


Marilú

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Criança do Sertão e a seca...



Sou criança do sertão,
da casinha de sapê,
falta tudo, desde água,
sobra amor e muita fé.

Na família onde nasci,
pai e mãe e oito irmãos,
só não falta a esperança,
que dias melhores virão.

Mainha saí cedo pra roça,
ligeira pra capinar,
passa o dia inteiro fora,
para a noite retornar.

Eu e meus irmãos pequenos
com fome a esperar,
o que será que teremos
hoje para jantar?

As vezes de mãos vazias,
com os olhos marejados,
ela olha e diz....
hoje não consegui nada.

Mainha olha o fogão de lenha,
sem nada pra cozinhar,
mistura água e farinha
e nos dá para tomar.

Mas no fundo daquele olhar,
tem muito mais que alimento,
tem amor, dedicação,
que supera o sofrimento.

Sou criança, sou poesia,
de uma terra castigada,
mas tenho certeza que um dia
eu serei recompensada.

Crianças do meu País,
nunca deixem de sonhar,
que o futuro nos espera
para o mundo melhorar.

Que todas as crianças do mundo 
possam ter os mesmos direitos,
direito a vida,
direito a alimentação,
direito a saúde,
direito de ser criança.

Marilú


sexta-feira, 29 de junho de 2012

Quanta saudade você deixou





Quantos projetos ficaram apenas no papel, 
quantos sonhos não realizamos, 
quantas viagens deixamos de fazer.

Quantos por do sol deixamos 
de ver juntos do nosso 
jardim.

Quantas estrelas deixamos 
de contar.
Quantas luas cheias deixamos
de admirar.

Quantos dias de  
felicidade passamos a 
beira mar, 
tudo era motivo 
para rir, era pura alegria
de viver.

Quantas noites de amor
deixamos de viver. 
Quantos beijos ardentes 
deixamos de trocar.

Quantas palavras ficaram 
sem ser ditas,
quantas frases inacabadas.

Quanto amor você 
deixou no meu coração, 
sinto tua falta,
 e quanta
saudade 
você deixou em mim.


Marilú




sexta-feira, 22 de junho de 2012

Prof. Corujinha e os Anjos



Olá criançada hoje eu o Prof. Corujinha vou falar 
sobre os Anjos.


Anjos divinos, 
pairando no ar, 
os vejo em meus sonhos, 
a me embalar. 

Anjos bondosos, 
me guardem e me guiem,
estejam comigo, 
a noite e de dia. 

Anjos tão lindos, 
de asas branquinhas, 
protejam e guardem 
todas as criancinhas.

Anjos são seres, 
cobertos de luz,
moram no céu, 
juntinho a Jesus. 

Ao Anjinho da Guarda 
vou sempre rezar, 
e sempre ao meu lado 
ele vai ficar. 


Marilú

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Diálogo da Partida





Hoje está uma noite linda, céu estrelado,
lua brilhante no céu, do jeitinho que
você gostava.

A lua te encantava, principalmente
quando era lua cheia, você fica
perdido durante horas a
olhar para ela.

Eu dizia sempre, a lua nada me diz,
mas hoje acho pq dizia isso,
eu tinha ciúme da atenção que
você dava a ela.

Essas noites me trazem de volta
nossos momentos plenos
de amor e felicidade.

Um chalé na montanha,
uma praia de pescadores
quase deserta,
um barzinho com música ao
vivo.

Você sempre dirigia de
mãos dadas comigo,
idas e vindas, sempre
tínhamos assunto.

Éramos mais que namorados,
amantes, éramos acima
de tudo amigos,uma amizade
que para mim será sempre
eterna.

Sinto falta das tuas brincadeiras,
do teu jeito menino de ser,
da vida que tivemos juntos,
sinto falta de você.


Marilú

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Cartas Marcadas



A vida é um jogo de 
cartas marcadas,
seladas,endereçadas
a cada um de nós.

Entregues pelo vento, 
o mensageiro do tempo.

Façam seus jogos,
a roleta da vida
não pode parar,
é perder ou ...ganhar.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Palco da Vida



Mais uma peça a ser montada no Palco da Vida... 
É um monólogo, apenas uma atriz 
em cena.

Veio endereçada a mim, 
li e reli, e perguntei-me?
Será que consigo representá-la?

Havia muitas páginas, algumas 
delas eu queria simplesmente rasgar,
descartar, mas não era possível,
a peça ficaria incompleta.

Dia de estréia, platéia lotada, 
ingressos esgotados, 
e atrás das cortinas do palco, eu tremia.
Como saber se agradaria a todos?

Abrem-se as cortinas, 
luzes, ação.
E lá estava eu com uma rosa
branca em uma das mãos
olhando nos olhos de cada espectador.

Fiquei surpresa ao ver que meu público 
eram todas as pessoas que haviam
passado pela minha vida.

Vi rostos que tanto amei, 
amigos, pessoas muito queridas, 
mas haviam também pessoas,
que muito me magoaram e que eu 
também magoei.

O medo dominou-me, 
eu queria fugir dali, 
mas algo dentro de mim, 
disse-me:
"Coragem, chegastes até aqui, 
nunca fugistes de nada, 
encena tua peça". 

E assim eu fiz, eram três atos.
Ao final, 
abracei aqueles a quem amava, 
pedi perdão a quem magoei, 
e perdoei a quem me magoou, 
e fui aplaudida de pé, 
sentei e chorei, 
neste palco chamado vida.

domingo, 20 de maio de 2012

Velhos Livros




Gosto dos livros velhos,
aqueles que estão empoeirados,
alguns já perderam a capa.

Gosto dos velhos livros,
pois toda vez que pego 
 um deles,
sinto quantas mãos já o folhearam,
quantas lágrimas foram derramadas
sobre ele,
quantos sorrisos de felicidade ele
proporcionou,
quantas vezes ele ficou sobre
os olhos do leitor, que adormeceu
lendo suas linhas.

Quantas vezes ele caiu no chão,
e foi ali deixado.


Quantas juras de amor 
ele presenciou.
Quantos sonos ele velou.
Quantos sonhos ele embalou.

Cada livro é um confessionário,
são conselheiros, guardam segredos, 
rosas daquele primeiro amor, 
hoje secas, mas ainda lhe resta
algum perfume.

Gosto daqueles livros que estão
rabiscados, sublinhados, frases
que disseram muito a alguém em determinado
momento.


Gosto de livros envelhecidos 
pelo tempo,
que já viajaram muito,
que além da história que neles 
está escrita, 
existe a história desse livro que
pertenceu a tantas pessoas, 
tem tantas dedicatórias,
e continua em sua trajetória.

Lindos romances, grandes histórias, todas
elas estão nesse universo de encanto e magia
chamado Livros.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Riscos e Rabiscos




O tempo se perde no esquecimento, longe das fronteiras da vida enternecedora onde surgiu minha vontade de soletrar, de conversar lentamente com o sol, ser voz no deserto, asa alada no vento, palavra na linha do horizonte e gravar entre meus riscos e rabiscos o que me vem da alma e da mente.

Apenas palavras sinceras, aquelas que não ditam regras nem rimas, personalizadas ou não vinda da emoção sempre no sonhar da noite onde flui minha inspiração. Nas pautas das entrelinhas vão surgindo meu versar, sem censura nem controle navego no imponderável, ouço o mundo ao redor do meu céu abro as portas da emoção deixo falar alto o coração.


Reconstruo no tempo no agora ou no momento, nos sinais dos dias que se seguem.
Numa mansa quietude entre meus riscos e rabiscos sempre mergulho nas minhas madrugadas solitárias, sedenta de minha alma me reconstruo desconstruo refaço renasço nasço assim tenho certeza da minha existência. 


Vou rabiscando escrevendo com nexo ou sem nexo inserindo as falas do cotidiano. Estilhaçando a memória do tempo, esbarrando nas arestas da vida, entre sorriso emudecido lágrima e alegria, do meu amor para o meu amor, meu poetar vai surgindo rabiscado nas linhas do destino para ficar gravado na folha da eternidade e na memória onde tudo se faz história. 

quinta-feira, 10 de maio de 2012

FELIZ DIA DAS MÃES A TODAS NÓS QUERIDAS AMIGAS

                  
Eu e minha querida mãezinha Julia


A TI MÃE

Como é possível tudo ter passado!?
Não sei nada dessa viagem que fizéste sem querer
Lá nesse céu pálidamente iluminado
Revoltei-me com a dureza da partida
Que mais podia fazer?
Se eras minha mãe querida?!

Cedo ao desejo constante de ao teu colo voltar
Não havendo nada que eu mais quizesse agora
Sensação única, autêntica que vou guardar
Assim como a tarde serena em que foste embora.

Ontem lembrei o teu xale negro
Aquele onde me protegias do frio e do vento
Onde convivíamos ambas em segredo
Enquanto teu olhar me envolvia sem cansaço nem lamento.

A saudade às vezes me tráz uma dor maior
Mas não quero o passado fechado
Quero lembrar-te com todo o meu amor
Sonhando sempre ter-te a meu lado.

A lembrança te leva ao meu eu mais profundo
E é lá que te vejo, minha mãe, a melhor mãe do mundo
É assim que te vejo.




Feliz dia das Mães, a todas as mães presentes, ausentes, 
e aquelas que iguais a minha vão permanecer 
sempre em nossos corações. 




Marilú

terça-feira, 1 de maio de 2012

Gavetas do tempo




                                                                Gavetas do tempo



Hoje resolvi abrir as gavetas do tempo.
Deparei com pilhas de recordações, 
muitas delas nem ao menos me lembrava.



Era como se a vida me perguntasse
por onde andei.

A cada laço que desatava, meu passado 
tornava-se cada vez mais presente. 
Fotos antigas, amareladas, de pessoas 
a quem tanto amei, momentos vividos
que ficaram eternizados....quanta saudade. 

Estava ali, meu primeiro diário, 
meu amigo, confidente, quantos 
sonhos, projetos.
Ao virar uma página encontrei 
a primeira rosa que ganhei....
Da mesma maneira que a coloquei, 
tantos anos ali, presa entre duas 
folhas de papel, sem vida, sem cor, 
mas ainda lhe resta um leve perfume.

Encontrei também várias cartas de amor, 
algumas que nunca li, 
outras que li e reli tantas vezes, 
que as letras estão apagadas
pelas lágrimas que derramei sobre elas. 

Diante daquelas gavetas do tempo
vi toda minha passar, 
planos não realizados, amores frustrados.

Sonhos de menina que a mulher 
não concretizou. 
Peço perdão a criança que 
deixou de sonhar....

A ponte do castelo 
vai subir.......
preciso me despedir.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Amor de Bicho...Lindo


"Chegará o dia em que o homem conhecerá o íntimo dos animais. Nesse dia um crime contra um animal será considerado um crime contra a própria humanidade."

E quem sabe o ser humano aprende algo de bom com esses animais, 
que cuidam de seus filhos, adotam filhos alheios, e tem por eles
o maior carinho.















domingo, 22 de abril de 2012

De todos os amores vividos.



De todos os amores por mim vividos até hoje,
o seu foi o mais intenso.

De todas as almas,
a sua foi a mais gêmea.

De toda a vontade de ficar junto,
a vontade que me domina é a sua.

De toda ânsia de cometer loucuras,
a sua foi a que mais me atentou.

De todas as esperanças em amores depositadas,
o seu foi o que teve mais crédito.

De toda a saudade,
a sua foi a mais forte.

De todos os beijos,
o seu foi o mais gostoso.

De todo calor,
o seu foi o mais ardente.

Por isso de todos os amores eternos por mim
prometidos, o seu será o único inesquecível
.

sábado, 21 de abril de 2012

Areia do Tempo.....



Nas areias da ampulheta

do tempo,

vejo minha vida

passando.


Cada grão, representa

um momento,

grandes alegrias,

muitas decepções.


Há momentos que agito

a ampulheta, para que

a areia desça, e o tempo

simplesmente desapareça.


Há outros em que

quero que areia pare...

pare no tempo...

aqueles momentos que

quero eternizar.


Quero ainda ter a

chance de explorar,

um enorme deserto,

que eu possa

encher várias ampulhetas

e consiga aprisionar

dentro de uma delas....

a felicidade.




Marilú

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Outono



Dizem que a Primavera é a época do amor. Pode ser que sim... Os campos estão floridos, os pássaros cantam, mas... o Outono é especial. Existe algo de mais belo que um pôr-do-sol de Outono, quando os raios vermelhos, rosa, roxo e azul pincelam o horizonte, rivalizando com todos os grandes pintores?!
Passeio num bosque. Debaixo dos meus pés, as folhas estalam, provocando a fuga de pequenos animais que por ali saltitam. Olho em redor e fascino-me com os tons castanhos e dourados das folhas suspensas das árvores. Nos ramos, os esquilos mordiscam a sua refeição e uma coruja olha-me com os seus grandes olhos. Olho para o céu, em faixas de azul que as nuvens cinzentas deixam a descoberto, bandos de andorinhas voam à procura de terras mais quentes.
Ao longe ouço um ruído.
Aproximo-me: um riacho de águas transparentes corre de pedra em pedra e os peixes prateados querem partilhar o meu deslumbramento...
Num bosque, no Outono, encontramos a paz, a harmonia, uma natureza embalada pelos primeiros ventos de, pela primeira chuva miudinha que nos convida à meditação, ao reencontro, à amizade e ao amor.